mct mpeg
Get Adobe Flash player

    Menção honrosa para pesquisa do INCT Biodiversidade e Uso da Terra na Amazônia

    O estudo mostrou os impactos da agricultura e da pastagem na emissão de gases estufa na atmosfera a partir da análise do solo da região do Baixo Amazonas

    Agência Museu Goeldi – A tese de mestrado “Mudanças nos estoques de carbono e nitrogênio do solo em função da conversão do uso da terra no Pará” é uma das três menções honrosas do Prêmio Dow-USP de Inovação em Sustentabilidade 2013. A autoria é da pesquisadora Mariana Durigan da Rede Amazônia Sustentável, vinculada ao INCT Biodiversidade e Uso da Terra na Amazônia.

    A pesquisadora analisou amostras de terra decorrentes dos principais usos da terra na região de Santarém (PA), leste da Amazônia, para quantificar a presença de carbono e nitrogênio, que compõem os principais gases do efeito estufa, o gás carbônico (CO2) e óxido nitroso (N2O). Uma grande quantidade destes elementos é estocada no solo e é de fundamental importância para o ciclo de vida das plantas. De acordo com a pesquisa, algumas práticas de manejo do solo podem alterar significativamente esses estoques, causando perdas de carbono e nitrogênio e, consequentemente, contribuindo para o efeito estufa.

    Impactos da agricultura e pastagens - As atividades de mudança de uso do solo, como as pastagens e a agricultura, crescem na Amazônia e são apontadas como as principais fontes de emissão de CO2 para a atmosfera. A produção de soja é uma das principais responsáveis pelo desmatamento e gerou até 2012 um desmate de mais de 18 mil hectares, de acordo com dados da Moratória da Soja. Além disso, cerca de 90% das áreas desmatadas são ocupadas por pastos.

    Mariana Durigan afirma que a agricultura e as pastagens podem aumentar ou diminuir os níveis de carbono e nitrogênio no solo, mas os tipos de manejo adotados na região têm diminuído os estoques, o que é preocupante. A pesquisadora chama atenção para que o crescimento econômico regional esteja atrelado a uma agricultura que preserve as propriedades do solo.

    Rede Amazônia Sustentável - É uma iniciativa inovadora estimulada pelas redes do projeto Agroambiente  e por subprojetos do INCT Biodiversidade e Uso da Terra na Amazônia: Análise custo-benefício entre Conservação e Desenvolvimento (coordenado por Toby Gardner – MPEG/University of Cambridge e Joice Ferreira – Embrapa Amazônia Oriental), Determinando os custos sociais e ambientais de queimadas na Amazônia (coordenado por Jos Barlow – Lancaster University  e Ima Vieira – MPEG) e Dinâmicas de usos da terra no leste do Pará (coordenado por Ima Vieira – MPEG).

     

    Texto: Luena Barros