mct mpeg
Get Adobe Flash player

    Uso de Recursos e Recuperação da Produtividade Agrícola das Terras do Leste do Pará

    Coordenação e Equipe |  Publicações

    Apresentação

    No nordeste paraense, como em outras regiões da Amazônia, o Uso da Terra é uma preocupação constante, pois atividades agrícolas como a implantação de pastagem, derrubadas e queimadas, desmatamentos indiscriminados e a exploração madeireira desordenada, promovem a remoção da floresta e aceleraram o processo de alteração do solo.

    O projeto tem como hipótese que a adição de material orgânico ao solo, devido à permanência dos resíduos vegetais leva a criação de um ambiente favorável ao melhor desenvolvimento vegetal, melhorando as condições nutricionais do solo. Foi investigada tanto a partir de experimentos envolvendo sistema agroflorestal até a replicagem de terra preta arqueológica, a Terra Preta Nova, passando pelos estudos de incorporação da capoeira após trituração ao solo. A pesquisa foi desenvolvida na região nordeste do Pará, mais precisamente nos municípios de Aurora do Pará, Tailândia, Bragança, Igarapé-Açu e Castanhal/Santo Antônio do Tauá.

     

    Objetivos

    1. Avaliar a recuperação de áreas alteradas por atividades antrópicas em sistemas diferenciados de cultivos agrícolas, florestais, agroflorestais e silviculturais;

    2. Avaliação da aplicação de resíduos da indústria madeireira na recuperação de áreas alteradas e sua utilização sob sistemas florestais e agroflorestais;

    3. Avaliação de sistemas de cultivo agrícola, florestal, silviculturais e agroflorestal inserido em área de vegetação secundária manejada com e sem queima;

    4. Terra Preta Nova como alternativa para elevação e sustentabilidade da fertilidade do solo;

    5. Avaliar a utilização de produtos não madeireiros aumentando a economicidade dos investimentos e a participação social da comunidade local.

     

    Resultados e Discussão

    Em todas as localidades estudadas, o solo predominante é o Latossolo Amarelo (textura média), mas em Tailândia foi encontrado também o Argisolo Amarelo textura média (Monteiro, 2010, Cordeiro, 2009, Silva, 2011). Em Castanhal foi detectado que o solo é mais empobrecido em relação aos demais do estudo, característica comum nos solos do nordeste paraense, por sua origem nas formações rochosas sedimentares.

    Para a melhor fertilização do solo, a fauna edáfica tem importante papel no processo de decomposição da matéria orgânica, entretanto, com as modificações impostas pelo mau uso do solo, e em particular pela agricultura, a fauna e os microorganismos, em diferentes graus de intensidade, são afetados pelos impactos provocados pelas práticas agrícolas já mencionadas, podendo alterar a composição e a diversidade de organismos do solo.

    Experiências indicaram que a adição e incorporação ao solo de material orgânico novo, através da queda de folhas, resíduos de galhos e das plantas e lâminas de madeira, levaram a criação de um ambiente favorável ao melhor desenvolvimento vegetal em relação a área que não foi recoberta com lâminas de madeira. Em termos de biomassa microbiana e fauna do solo os estudos mostram que o comportamento da comunidade varia no solo, em função da cobertura vegetal e da época do ano amostrada (Lopes et al, 2011; Silva, 2011, Pereira Jr, 2011,). Resultados semelhantes também já foram registrados por outros autores na Amazônia (Piccinin et al, 2007, Ruivo et al, 2007; Lopes, et al, 2011). O monocultivo bem manejado da palma de óleo, por exemplo, pode propiciar condições para que a biomassa microbiana seja capaz de funcionar como propulsora de uma rápida e eficiente ciclagem e armazenagem de nutrientes.

     

    Conclusão

    Os estudos concluem que a adição de material orgânico diversificado ao solo, a permanência e incorporação e decomposição lenta desses resíduos levou à criação de um edafoambiente favorável à manutenção da qualidade do solo. Entretanto, é importante a continuação desse tipo de trabalho em longo prazo, para melhor identificar diferenças nas características biológicas dos solos entre os diferentes sistemas de manejo, intensificar os estudos envolvendo a variação sazonal dos atributos do solo, as variáveis indicadas como indicadoras da qualidade do solo e intensificar os estudos em determinadas práticas de manejo como potencialidades para o sequestro de Carbono.