mct mpeg
Get Adobe Flash player

    Workshops debatem a sustentabilidade na Amazônia

    Especialistas se reúnem em São Paulo para trocar informações sobre usos da terra, sistemas de manejo e gestão, estoques de carbono e conservação de solos na região amazônica


    Agência Museu Goeldi - Pesquisadores e estudantes de pós-graduação envolvidos com os projetos do Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia - INCT Biodiversidade e Uso da Terra na Amazônia, coordenado pela ecóloga Ima Vieira (pesquisadora do Museu Paraense Emílio Goeldi- MPEG), e do projeto Agroambiente, coordenado pela agrônoma Joice Ferreira (pesquisadora da Embrapa Amazônia Oriental), participam de dois workshops com especialistas e institutos focados nos estudos sobre a sustentabilidade na Amazônia. Os eventos fazem parte da Rede de Pesquisa Amazônia Sustentável, que reúne cientistas de diversos grupos e instituições.

    O primeiro workshop - Land-use change and human-environment relationships in eastern Amazônia - acontece no dia 10 de junho, na sede da Embrapa Monitoramento por Satélite, em Campinas – SP. O objetivo deste evento é compartilhar os estudos desenvolvidos sobre o uso da terra e sistemas de gestão e manejo no Pará, identificando as interações potenciais entre os projetos desenvolvidos pela Rede Amazônia Sustentável, as possibilidades de cooperação e colaboração entre os grupos de pesquisa. O workshop também tem como meta avaliar e definir cenários plausíveis dos mercados e sistemas de pagamento para serviços ambientais relevantes para a Amazônia Oriental, especialmente para as as regiões de Santarém e Paragominas.

    Após Campinas, a rede de pesquisa se desloca para Piracicaba nos dias 13 e 14 de junho, onde discutirão um plano de trabalho para análise dos dados relativos aos estoques de carbono e de conservação dos solos. Entre os propósitos deste segundo workshop figuram a integração de dados coletados sobre carbono e solos, através de modelagem espacial, e a comparação com os dados obtidos sobre biodiversidade, além de debater questões internas de organização do processo da pesquisa, como o estabelecimento de um cronograma de trabalho e discutir métodos de análise dos projetos desenvolvidos pelos estudantes de pós-graduação.

    A Rede de Pesquisa Amazônia Sustentável é uma iniciativa inovadora estimulada pelas redes do projeto Agroambiente  e por subprojetos do INCT Biodiversidade e Uso da Terra na Amazônia – Análise custo-benefício entre Conservação e Desenvolvimento (coordenado por Toby Gardner – MPEG e University of Cambridge e Joice Ferreira – Embrapa Amazônia Oriental), Determinando os custos sociais e ambientais de queimadas na Amazônia (coordenado por Jos Barlow – Lancaster University  e Ima Vieira – MPEG) e Dinâmicas de usos da terra no leste do Pará (coordenado por Ima Vieira – MPEG).

    As instituições participantes dos dois eventos são: Museu Goeldi, Embrapa (unidades Amazônia Oriental e Monitoramento por Satélite), Cambridge University, Lancaster University, Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais - INPE, Universidade de Campinas – Unicamp, Escola Superior de Agricultura – Esalq/USP, Universidade Federal do Pará - UFPA, Universidade Federal Rural da Amazônia - UFRA,  Universidade de Lavras, Instituto do Homem e do Meio Ambiente da Amazônia – Imazon, Instituto de Pesquisa Econômica e Aplicada - IPEA, The Nature Conservancy, London School Economics and Political Science, Centro de cooperação internacional em pesquisa agronômica para o desenvolvimento – CIRAD, Banco Itaú, Center for International Forestry Research - CIFOR, Conservation Strategy Fund, Michigan State University e Stanford University.

    Texto: Joice Santos


    Serviço:

    Workshop “Land-use change and human-environment relationships in eastern Amazônia”

    Local: Embrapa Monitoramento por Satélite, Campinas-SP
    Data: 10 de junho/2011

    Workshop "Plano de trabalho para análise dos dados relativos aos estoques de carbono e conservação dos solos"

    Local: Esalq, Piracicaba/SP
    Data:13 e 14 de junho / 2011

    Realização: Museu Paraense Emílio Goeldi, Embrapa Amazônia Oriental, University of Cambridge e Lancaster University.